Celulite: entenda como se forma e como melhorá-la

A celulite (nome vulgar) é também conhecida como fibro edema geloide, hidrolipodistrofia ginoide, lipodistrofia edematosa e entre outros nomes, suas principais causas são o hormônio feminino (estrógeno), alimentação inadequada, falta do consumo de água, etnia caucasiana, sedentarismo, tabagismo, alcoolismo, uso de medicamentos, gestação e entre outros fatores. Esta disfunção estética acomete principalmente mulheres na região dos glúteos (bunda), coxas e abdome.

Celulite.

O aumento do hormônio feminino gera um acumulo de líquido entre os adipócitos (células de gordura) que causa um estrangulamento dos vasos sanguíneos, compromete a circulação local, para conter esse extravasamento de líquido o organismo manda fibras de colágeno (fibrose) para conter a situação e depois ocorre o tracionamento da superfície da pele.

Graus da celulite

Grau I: é visível apenas na contração e apalpação, ocorre alteração do sistema circulatório, redução da elasticidade e temperatura.

Grau II:  começa formar a aparência de “casca de laranja”, é presente nódulos e alteração da sensibilidade.

Grau III: a pele é flácida, “amassada”; há  presença de fibrose, dor, microvarizes e comprometimento nervoso.

Grau IV: é o estágio mais avançado, com aspecto acolchoado, há cansaço e dor nas pernas.

Graus da celulite.

Tratamentos

O tratamento em estágios baixos podem ser feitos apenas com exercícios físicos, cosméticos que estimulem a circulação e a melhora da alimentação; já em estágios avançados é indicado procurar um profissional da estética para tratar com ultrassom estético, drenagem linfática e corrente russa (no caso de flacidez).

Não se esqueça de mudar seus hábitos alimentares, parar de tomar refrigerante e cortar frituras definitivamente! Não use mais óleo para preparar alimentos, beba bastante água e não se esqueça de praticar exercícios físicos.

Não adianta ficar o ano inteiro só comendo “bobagens” e chegar no verão e querer ter o bumbum bonito, isso é uma mudança de hábitos, tem que fazer parte da sua rotina!

Confira também sobre o tratamento bioortomolecular:

Seja o(a) primeiro(a) a postar um comentário!

Faça um comentário

 

Translate »