Infertilidade feminina: conheça os principais tratamentos

Cerca de 15% dos casais em idade fértil apresentam dificuldade para engravidar, sendo que em 1/3 deles, a causa é a infertilidade feminina. Existem inúmeros tratamentos que podem auxiliar a mulher a realizar o sonho de ser mãe, sendo que cada um é recomendado para uma situação específica.

Infertilidade feminina.

Tanto a infertilidade feminina, quanto a masculina, são consideradas quando o casal tenta a gravidez sem sucesso por, pelo menos, 1 ano, mesmo com relações frequentes e sem utilizar nenhum método contraceptivo. Com a orientação de um médico especialista e exames específicos é possível diagnosticar a causa da infertilidade em 90% dos casos e sugerir o tratamento adequado.

Principais tratamentos de reprodução

Os tratamentos de reprodução possuem inúmeras formas, preços e taxas de sucesso. É possível realizar o procedimento cirúrgico, com a administração de hormônios ou com a doação de gametas, em casos mais extremos. As principais formas de tratar a infertilidade em uma clínica de reprodução humana são:

  • Namoro programado

É o tratamento mais simples e acessível, porém é indicado somente quando a mulher apresenta distúrbio ovulatório. O método consiste em avaliar através de ultrassonografias a ovulação e administrar hormônios, prevendo assim o melhor dia para as relações sexuais surtirem o efeito desejado.

  • Inseminação artificial

É uma das técnicas de reprodução mais conhecida e é oferecida também pelo sistema público de saúde. Para o tratamento, os espermatozoides são colhidos e selecionados, sendo depositados diretamente na cavidade uterina. A ovulação da mulher também é estimulada com hormônios para facilitar o encontro dos gametas. O tratamento é recomendado em casos de ovulação irregular e fator cervical (muco hostil aos espermatozoides).

  • Fertilização in vitro

Possui a maior taxa de sucesso e complexidade entre os tratamentos para engravidar. Nele a concepção é realizada em laboratório, com a união do espermatozoide com o óvulo sendo analisada microscopicamente. O embrião gerado é então analisado e conservado por alguns dias em laboratório, sendo então implantado no útero feminino. A técnica possibilita a utilização de gametas doados em casos extremos de infertilidade e é indicada para diversos casos.

Doação de gametas – infertilidade feminina

Assim como existe a doação e conservação de espermatozoides, as mulheres também podem ajudar outras a engravidar. A ovodoação é a única alternativa para alguns casais realizarem a fertilização in vitro e ocorre de forma altruísta, sem que a doadora conheça a receptora ou tenha qualquer contato com a mesma ou com o bebê que venha a ser gerado de seu óvulo.

Para doar, a mulher deve ter menos de 35 anos, bom potencial ovariano, ausência de doenças genéticas e o mesmo biótipo e tipo sanguíneo da receptora. A remuneração pelo gameta é proibida pela legislação brasileira, mas a mulher que receberá o óvulo pode ser a responsável financeira pelo procedimento, arcando com os custos de sua fertilização in vitro e também dos hormônios ingeridos pela doadora.

A infertilidade feminina e masculina podem afetar o relacionamento do casal, com a frustração e o medo de nunca gerar descendentes trazendo tristeza e sintomas de depressão. Buscar auxílio médico e psicológico é importante nesse momento, cuidando de sua saúde física e emocional afim de conseguir engravidar.

Por Maristela Silva

Seja o(a) primeiro(a) a postar um comentário!

Faça um comentário

 

Translate »