Reunião de pais: reflexões sobre o tema

Reunião de pais.

Na grande maioria dos casos, não é tão simples querer admitir a verdade na reunião dos pais com os professores na escola. O fato é que, apesar de desejarem a ajuda dos pais, os professores não podem ser tão diretos como gostariam. Fora isso, ainda é difícil, para alguns pais, acreditar que seu filho possa não ser o aluno exemplar que ele imagina.

Por esses motivos, decidimos listar algumas coisas para ter em mente antes da reunião na escola e, assim, entender melhor o que o professor do seu filho pode querer dizer de forma discreta.

Reflexões – reunião de pais:

Ouça o que os professores têm a dizer sobre seu filho e acredite neles:

Não é que você não deva ouvir o lado do seu filho quando surge algum atrito na relação da criança com a escola, como uma suspenção, por exemplo. O problema é quando o lado da criança é o único levado em consideração e tomado como verdade absoluta. Você precisa se permitir confiar nos professores do seu filho quando eles lhe dizem que o comportamento não é, na escola, o mesmo que apresenta-se em casa. Ouça todos os lados e acredite, na grande maioria dos casos os professores não estão pegando no pé do seu filho, mas sim, tentando resolver um problema que realmente existe.

Foque no assunto da reunião:

A reunião na escola é um momento para buscar formas de tornar o ensino do seu filho ainda mais produtivo. Desabafar com o professor sobre problemas da família, agir com agressividade diante de reclamações ou ser negligente a pedidos dos professores não vai ajudar em nada. Lembre-se, é um momento para conversar e buscar alternativas, não para jogar a culpa das frustrações de um para o outro. Além disso, seu comportamento na reunião vai ser uma forma do professor entender o aluno, ou seja, se você for à escola para ouvir sobre a agressividade da sua criança e reagir do mesmo modo, logo os professores saberão qual é a fonte do problema.

A educação do seu filho cabe, primeiramente, a você:

Não é nada incomum que pais e mães acreditem que o papel da escola é educar seus filhos. Essa afirmação é extremamente equivocada. O papel da escola é dar conhecimento às crianças, além de garantir um espaço saudável para que elas desenvolvam uma relação com outras crianças. No entanto, se seu filho é desrespeitoso, agressivo, ou não está agindo da forma como você gostaria, esse não é um problema da escola. Portanto, não cabe exigir e cobrar dos professores que ensinem às crianças coisas que elas precisam aprender em casa.

Talvez seu filho não seja tão estudioso quanto você pensa:

Apesar de ser um tanto complicado admitir, muitas vezes as crianças e adolescentes não estão realmente estudando quando dizem que estão. Talvez seu filho até esteja com o livro da escola ou você tenha certeza de que o viu em um site educacional quando passou perto do seu computador.

Mas isso não é garantia de que ele está de fato absorvendo o conteúdo, por isso, mesmo que você veja seu filho preparando o trabalho que precisa entregar na escola, acredite quando o professor disser que ele precisa estudar mais em casa. Ajude seu filho a ter um tempo de estudo mais produtivo, evitando que ele se distraia com outros sites no momento de fazer a tarefa, ou quaisquer outras distrações externas que possam tornar improdutivo o tempo que ele passa com os livros.

Seu filho precisa ocupar melhor o tempo fora da escola:

Talvez lhe soe absurda a ideia de que seu filho precisa ocupar melhor o tempo dele, afinal, você já o inscreveu em diversas atividades fora da escola que ocupam a semana toda e, de forma alguma, seu filho passa o tempo com a cabeça livre para pensar ou fazer algo que não deva. No entanto, isso não significa que sua criança está ocupando bem o tempo fora da escola. É preciso deixar espaço livre na rotina das crianças para que elas possam apenas relaxar, brincar e ser criança. Se você ocupar o tempo todo do seu filho, ele já irá para a escola cansado de manter tanto o foco e, provavelmente, será menos produtivo na sala de aula.

Acredite: o ensino como era na sua época, não vai funcionar com seu filho:

É quase natural que os pais, que guardam memórias de uma sala de aula quieta, atenta e extremamente dedicada a agradar os superiores, da sua época, acreditem que esse seria o modo ideal de educar as crianças atuais. Mas é preciso que se desenvolva a consciência de que a criança que você foi, e a criança que seu filho é, são completamente diferentes e vivem em sociedades totalmente divergentes. Os métodos de ensino veem se modernizando e aprimorando, justamente porque as crianças atuais já não aprendem mais com os métodos tradicionais e ultrapassados. Portanto, não seja o tipo de responsável que tenta impor um método de ensino que lhe agrade à escola do seu filho. Pergunte sempre que tiver dúvidas e sugira o que tiver vontade, mas acima de tudo respeite o profissional que estudou para desenvolver o conhecimento do seu filho.

Se o professor parecer saber o que acontece na sua casa, é porque ele provavelmente sabe:

Já foi a uma reunião de pais, na qual o assunto deu voltas e voltas e parecia sempre querer chegar a uma questão que você imaginou que não havia saído da sua casa, como uma briga, por exemplo? Pois é, as crianças muitas vezes não sabem que você não gostaria que aquele assunto deixasse de ser particular, mas não fique irritada com a sua criança. Se seu filho comentou com os professores sobre uma situação difícil, e esse assunto chegou à reunião, é porque provavelmente isso está prejudicando o emocional da sua criança. Vale reagir com atenção, e não raiva, e tentar tornar seu lar, um ambiente mais seguro e agradável para que seu filho, não precise pedir a ajuda dos professores.

Larissa Santos.

Seja o(a) primeiro(a) a postar um comentário!

Faça um comentário

 

Translate »